terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Retrospectiva 2013

Desejamos a toda família Inhaúma um Feliz Ano Novo!

Que o Novo Ano traga lindas lembrança, como tivemos em 2013:

  • Dia das Crianças





  • Passeio na Sitiolândia



  • Mostra Cultural




  • Festa Junina





  • Zoo Safari


FONTE: Acervo da escola.

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Cantinhos de convivência

Novidades na escola!

Mais dois espaços de convivência já estão sendo montados para nossos alunos, para 2014.
Espaços idealizados para leitura, para roda de conversa, para momentos de relaxar e compartilhar histórias e livros. Nestes espaços, lúdicos e de fantasia nossos alunos e professores poderão compartilhar momentos de aprendizagem e de lazer.

   
                 Cantinho Interno - para ler e relaxar                               Cantinho externo - em construção 

Veja Slide com fotos da Casinha dos Três Porquinhos e do Cantinho de convivência:



Em 2014 novos projetos virão!
Nossa escola no rumo de projetos pedagógicos e gestão de qualidade.

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Mensagem de Natal 2013

Feliz Natal!

Uma pequena mostra de desenhos e esculturas com massinha de modelar que retratam o sentimento do Natal, para os nossos alunos, uma atividade para presentear os amigos com desejo e esperança de um Natal e Ano Novo cheio de Paz, Saúde e Realizações.

Desenhos dos alunos do 1º ano A e B e atividade de massinha do 5º ano A


Através dos desenhos percebemos as diversas visões da felicidade do Natal, a esperança de ganhar o presente tão esperado, a lembrança da família reunida, ou de ter a família reunida, enfim é momento de pensar, refletir e de tentarmos fazer um Ano Novo melhor.... 

Um Feliz Natal para toda família Inhaúma.

sábado, 14 de dezembro de 2013

Sexta edição da Jornada de Matemática

VI JORNADA DE MATEMÁTICA


Parabéns para nossos alunos do 5º ano B e para a Professora Claudia Anita pelo 2º lugar conquistado na VI Jornada de Matemática - DE Norte 2, com a premiação de um troféu e medalhas de prata para os alunos participantes.

              Profª. Claúdia Anita
         

A Jornada de Matemática tem como objetivo geral:
  • Proporcionar aos alunos das escolas da Rede Pública Estadual de Ensino, um contexto significativo para aplicação e desenvolvimento de noções e procedimentos matemáticos, referentes aos conteúdos previstos para os anos iniciais do ensino fundamental. 
E como objetivos específicos, propiciar aos alunos situações desafiadoras que promovam o raciocínio lógico para a resolução de situações-problema que os levem a: 
  • compreender que o conhecimento e a utilização dos cálculos numéricos são um dos meios para entendimento da realidade;
  • utilizar estratégias de cálculo mental envolvendo as quatro operações: adição, subtração,
  • multiplicação e divisão;
  • interagir com seus pares, em atividades realizadas interclasse e extraclasse, compartilhando diferentes maneiras de calcular e de buscar soluções para situações-problema;
  • ampliar o repertório sobre as diferentes maneiras de se resolver situações-problema, com estratégias numéricas ou não, aplicáveis ou não, ao cotidiano;
  • perceber que o conhecimento matemático é ferramenta e objeto de estudo para investigar questões voltadas à simples curiosidade. 
Dessa disputa, saíram três DEs da capital e três do interior como finalistas estadual da VI Jornada de Matemática.
Objetivo da Premiação
Estimular o aprendizado de matemática entre os alunos da rede estadual é objetivo da VI Jornada de Matemática, promovida pela Secretaria da Educação. Participaram da disputa equipes formadas por estudantes do 5º ano do Ensino Fundamental. Cada grupo contou com sete componentes escolhidos na primeira fase, em competições realizadas nas escolas para destacar seus representantes. 

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Prô Cris Chabes: Educação em Foco: Uma lição para o mundo

Educação em Foco: Uma lição para o mundo


Educação em Foco: Uma lição para o mundo: fez uma homenagem a Nelson Mandela, com texto de Anne Lieri. "Mais que tudo ele foi um professor. Um professor que, mesmo na prisão por 27 anos, inspirou a luta pelo fim do apartheid na África do Sul e até o fim da vida deu uma lição de dignidade e justiça social."

Acompanhem.
Abçs 
Cris Chabes

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Saresp

Senhores pais ou responsáveis nos próximos dias 26 e 27 de novembro de 2013, os alunos da rede estadual de educação estarão realizando a Avaliação do Saresp que é uma prova aplicada anualmente, desde 1996, pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (SEE/SP) para avaliar o Ensino Básico na rede estadual.






Até 2012, a prova era aplicada em alunos do 3º, 5º, 7º e 9º anos do Ensino Fundamental e da 3ª série do Ensino Médio. Neste ano, porém, as crianças do 2º ano do Ensino Fundamental também prestarão a prova.


A mudança acontece em razão da determinação da Secretaria da Educação do Estado em adotar os 7 anos de idade como a nova meta etária de alfabetização em São Paulo, enquanto no Brasil a meta é de 8 anos. Com a ampliação para o 2º ano, o total de alunos avaliados passa de 2,2 milhões para 2,5 milhões, um aumento de 13%.

As disciplinas a serem avaliadas são Língua Portuguesa, Matemática e Ciências da Natureza (7º e 9º anos do Ensino Fundamental e 3º série do Ensino Médio). Haverá aplicação de prova de Redação para uma amostra de turmas dos 5º, 7º e 9º anos do Ensino Fundamental e 3ª série do Ensino Médio de cada rede de ensino.


Por favor acompanhe os resultados e não deixem seus filhos faltarem. O horário de inicio da prova deve ser respeitado e as crianças que chegarem atrasadas não poderão entrar na sala após o inicio da mesma. 

A qualidade na Educação depende de todos.

Abraços
Pro Cris Chabes

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Yves de La Taille: "Nossos alunos precisam de princípios, e não só de regras"


YVES DE LA TAILLE. Foto: Almir Cândido de Almeida


Para o psicólogo, a escola deve investir em formação ética no convívio entre alunos, professores e funcionários para vencer a indisciplina

Agressões, humilhação, ausência de limites. Nove em cada dez educadores reclamam que as salas de aula estão cada vez mais incivilizadas e que é preciso dar um basta. Para resolver o problema, nove entre dez escolas recorrem a regras de controle e punição. "É legitimo, mas é pouco. É preciso criar uma lei para coibir algo que o bom senso por si só deveria banir?", questiona Yves de La Taille, professor do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo. Especialista em Psicologia Moral (a ciência que investiga os processos mentais que levam alguém a obedecer ou não a regras e valores), ele defende que a escola ajude a formar pessoas capazes de resolver conflitos coletivamente, pautadas pelo respeito a princípios discutidos pela comunidade. O caminho para chegar lá passa pela formação ética - não necessariamente como conteúdo didático, mas principalmente no convívio diário dentro da instituição.


Muitos educadores trabalham regras de convivência com a turma em suas aulas por meio dos combinados, discutindo normas coletivamente. Qual é sua opinião sobre essa prática? 
LA TAILLE Para que um combinado seja efetivamente aceito, é preciso prestar atenção a três aspectos. Primeiro, é necessário que os princípios inspiradores norteiem o acordo e sejam explicitamente colocados, não fiquem apenas implícitos para a turma. Na escola inglesa Summerhill, por exemplo, um dos princípios fundamentais é o da igualdade. Com base nele, ficou decidido que nenhuma assembléia poderia resolver que os meninos menores serviriam aos maiores - algo que, na prática, poderia acontecer caso os mais velhos tivessem maioria em uma votação, digamos. Esse, aliás, é o segundo ponto importante: deve-se evitar ao máximo que os combinados se dêem por votação. É preferível procurar o consenso, o que dá muito mais trabalho mas é bem mais rico porque desenvolve a prática de escutar o outro. Se o grupo segue muito rápido para a votação, elimina-se uma etapa preciosa que poderia ser dedicada ao diálogo. A votação não é diálogo, a votação é poder: se eu tenho mais votos que você, você perde e eu ganho. Em terceiro lugar, o professor não pode abrir mão de seu papel de autoridade, simplesmente jogando para o grupo as responsabilidades pelas sanções que o combinado pode gerar. 

Há algum caso prático que exemplifique essa atuação? 
LA TAILLE Posso contar um fato real ocorrido numa excelente escola, uma das melhores que eu conheço. A professora combinou com uma turma de 5 e 6 anos que, após as brincadeiras, as crianças guardariam os brinquedos. Todas brincaram, mas duas delas resolveram não guardar o brinquedo. O que fazer nessa hora? A educadora - que depois se arrependeu profundamente - propôs que a classe criasse uma lista num pedaço de papel, escrevendo de um lado aqueles que cumpriram o combinado e do outro os que não. Resultado imediato: o menino e a menina que haviam desobedecido ao acordo ficaram desesperados porque se viram excluídos. Foram para casa e disseram que não queriam mais voltar à escola de jeito nenhum. O erro da professora foi justamente atribuir ao grupo a sanção. A tirania do grupo às vezes é pior do que a tirania de uma só pessoa. 

Qual seria a atitude correta da professora nessa situação? 
LA TAILLE Ela deveria ser a guardiã do combinado, dizendo aos pequenos: "Vocês vão arrumar os brinquedos, sim. Primeiro, em razão do combinado. Segundo, porque eu estou mandando". É preciso cuidar para que a criança não substitua a figura do adulto. Ela precisa dessa referência de autoridade, de proteção, de confiança. Depois, à medida que a turma vai tomando consciência e refletindo sobre as questões morais, pouco a pouco o grupo passa a assumir essa referência. 


Leia a matéria na integra em NOVA ESCOLA 

http://revistaescola.abril.com.br/crianca-e-adolescente/comportamento/fala-mestre-yves-la-taille-466838.shtml



domingo, 10 de novembro de 2013

Nova Escola: Valor do Professor

A revista Nova Escola, edição de novembro/2013, trouxe uma matéria muito interessante sobre a profissão de Professor, destacando o desinteresse pela profissão daqueles que ainda nem ingressaram e exoneração crescente daqueles que já estão na rede pública em diversos estados e municípios.
Um estudo realizado pela Fundação Varkey Gems, com 21 países (pesquisa quantitativa com mil entrevistados por país) sobre o  status que os professores têm em seu país, o Brasil só fica atrás de Israel na pior valorização do professor. 


De acordo com essa pesquisa na China 50% dos pais encorajam seus filhos a seguir a carreira de professor, contra 20% no Brasil.  As respostas apontam que Valorização nada tem haver com formação, mas sim com o Profissional e sua atuação. 

No Brasil, em Curitiba, Andréa do Rocio Caldas realizou uma pequisa com professores da rede municipal sobre os fatores que levam ao abandono da profissão,  "baixos salários, problemas psicológicos e físicos, infraestrutura precária, violência no ambiente de trabalho, pressão e cobrança por resultados, falta de apoio dos familiares e desvalorização da profissão pela sociedade. 

De acordo com a pesquisa da Fundação 88% dos  entrevistados concordam que o professor deve ser remunerado de acordo com o desempenho dos seus alunos, por outro lado, o maior número de respostas indicam que a sociedade sabe que os alunos não respeitam os professores, e portanto esses acabam desmotivados para permanecer na profissão.


"Sem perspectivas convidativas de formação, carreira e condições de trabalho" será muito difícil  reverter esse quadro" (Nova Escola) e acredito que será muito difícil valorizar o professor, seja do ponto de vista da sociedade ou do estudante do curso de pedagogia ou licenciatura. Aqueles que ingressam na universidade para seguir a carreira o fazem pensando nos concursos públicos e na estabilidade da carreira, sem sequer se preocupar com a carreira profissional. Assim aceitam ganhar, inicialmente, o salário oferecido, sem cogitar a formação constante para atualização e melhoria na qualidade do ensino. Ao longo dos anos de atuação sentem-se oprimidos pelo sistema que os considera inaptos, aplicando avaliações aos alunos e atribuindo a culpa dos resultados apenas ao professor. Na sequencia vem a desmotivação com a profissão e a procura por novos trabalhos, daí a exoneração. 

             Notícias do Portal G1
            Fundação Valkey Gems 

Beijocas
Cris Chabes

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Vamos estudar com seu filho?

Cartilha da Família 
O fim do ano se aproxima e agora todos começam a se preparar para as últimas avaliações antes das férias. 

O mês de novembro passa rápido e temos +- 15 dias de dezembro, porém antes que o ano termine, é preciso conversar com as crianças sobre essa etapa final do curso. É hora de tirar dúvidas, de orientar-se para as avaliações finais e preparar-se para o novo ano. Mas de que forma a criança estuda e ela tem a ajuda e orientação da família neste momento?

Pensando nisso o site Educar para Crescer, elaborou uma Cartilha de Orientação para ajudar a família neste momento. É possível baixar em seu computador e imprimir, tendo o guia sempre em mãos ou colado em um mural próximo ao local de estudos . 

Mesmo cansados das lições de classe, casa, trabalhos e estudos é muito importante manter a turma motivada, para isso Separe 10 ou 15 minutos antes do intervalo para o lanche ou ao final da aula para um "tempo livre" em que eles possam conversar, se movimentarem pela sala, leiam gibis, etc, mas avise-os logo no início da aula sobre esse tempo, assim todos já sabem antecipadamente que terão um descanso. 

Educar para Crescer 

No Educar para Crescer vocês também podem encontrar outras dicas super importantes de como participar da educação de seus filhos. 

Educar para Crescer 

Beijocas
Cris Chabes

sábado, 2 de novembro de 2013

Chega! Não aguento mais! Prô ele vive me chamando de boboca!!!!!

Bulling - todos já ouvimos falar sobre isso e somos capazes de explicar direitinho o que é, mas e as crianças como lidam com isso e quando essa prática começa?

Enquanto as crianças estão na pré escola, 1o. ou 2o. ano as queixas são: 
_ Prô ele me chamou de boba!
_ Prô ele me empurrou!
_ Prô ela disse que não vai mais ser minha amiga!
Tudo isso acompanhado de choro e conversa dos pais com os professores, quando os casos se repetem várias vezes. Até aqui tudo é encaminhado como fase de adaptação da criança ao novo grupo social (amigos e escola)
A partir do 3o. ano esses casos não resolvidos começam a ganhar novas dimensões: 
- Prô ele me deu um soco!
_ Prô ele disse que vai me pegar no recreio!
_ Prô ela me empurrou e me xingou de .........
Agora a questão começa a ser tratada como indisciplina e ninguém fala das questões emocionais envolvidas e o quanto elas podem acarretar em novas situações no futuro breve. Então nas séries seguintes se ouve:
_ Prô eu bati nela sim, pois vivem dizendo que sou ridícula, que meu cabelo é seco, que minha roupa é velha!
_ Prô eu chutei pois todo dia ele me empurra e diz que sou baixinho ou gordinho. 
Daí começamos a tratar dessas questões como BULLYNG e nem percebemos o quanto essa criança e todos os envolvidos estão abalados emocionalmente.
É comum nesta fase as escolas passarem vídeos ou convidar palestrantes para falar sobre o assunto com as crianças, mas e quando eles mesmos não conseguem reconhecer que estão cometendo ou sendo vítimas de bullyng ou qual a proporção que isso pode chegar?


Dê um basta 
"O bullying acontece quando uma criança ou adolescente intencionalmente diz ou faz algo para prejudicar um(a) colega que, por sua vez, tem dificuldade para se defender. É um padrão de comportamento agressivo que ocorre entre pares e envolve ações indesejadas, negativas e repetidas ao longo do tempo. O bullying implica um desequilíbrio de poder ou força.
Na América Latina, cada vez mais estudos sobre o bullying mostram que se trata de um problema crítico e sério em níveis individual, escolar e social. Uma pesquisa recente mediu a prevalência do bullying nessa região, em comparação ao resto do mundo, e concluiu que a América Latina apresenta os níveis mais elevados de bullying escolar"


Pesquisando encontrei um site com material disponível e muitas explicações interessantes tanto para pais, professores e crianças. www.chegadebulling Acesse aqui 

Se essa situação não parar ainda na fase dos 8 a 11 anos, a situação pode se agradar e tomar dimensões na WEB via redes sociais. 
Chega de Bulling
Os pais, professores e todos os funcionários da escola têm a responsabilidade de se unir para tornar as escolas ambientes livres de violência e de bullying. Como um adulto – seja no papel de pai ou de funcionário da escola –, você pode fazer muito para acabar com o bullying. A campanha "Chega de bullying, não fique calado" precisa do envolvimento dos adultos por meio de muito diálogo e com o aprendizado de estratégias efetivas, o estabelecimento de regras claras e vigilância. As crianças precisam saber que você está presente para guiá-las e protegê-las. Elas precisam de adultos que identifiquem o bullying rapidamente e intervenham de forma confiante e consistente. As crianças precisam de orientações práticas e admiram adultos com os quais podem conta

É importante levar essa conversa para a escola como tema das reuniões de pais ou entre os funcionários da instituição.
Vamos dar um basta já!


Beijocas
Cris chabes

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Reunião de Pais - Mural


No no sábado, 19 de outubro, durante a abertura de Reunião de Pais na escola, nossa direção sugeriu aos pais que deixassem mensagens aos filhos em um mural, feito com especial intuito de estreitar ainda mais os laços familiares e o amor pelos filhos.

video

Slide: Slivia RC

domingo, 20 de outubro de 2013

Autorização de Imagem

Senhores Pais, segue abaixo um modelo da autorização de uso de imagem e som da voz, dos alunos. Caso tenham necessidade, poderão imprimir diretamente através de nosso BLOG e entregar assinado na secretária da escola ou diretamente com a professora da classe.


foto: Silvia RC

Link do arquivo para imprimir: Autorização de Imagem Inhaúma

domingo, 13 de outubro de 2013

Senhores Pais fiquem atentos as seguintes datas:


dia 15/10/2013 - 3a. feira -  não haverá aula - feriado do dia dos professores. 

dia 19/10/2013 -  sábado -  reunião de pais e professores (verifique os horários abaixo)

  •   para os alunos do período da manhã a reunião será das 8 às 10 horas

  •   para os alunos do período da tarde a reunião será das 10 às 12 horas.


segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Mostra Cultural 2013

A Mostra Cultural de 2013 foi um sucesso novamente.
As crianças e os professores estão de parabéns.
Vamos publicar aqui uma sala por vez. 
Beijocas
Cris Chabes

Sala da Professora Cris - 3o. ano C manhã












sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Mostra Cultural 2013

A Mostra Cultural de 2013 foi um sucesso novamente.
As crianças e os professores estão de parabéns.
Vamos publicar aqui uma sala por vez. 
Beijocas
Cris Chabes



4o. ano A e B -
Professoras Deise e Ângela - Manhã













quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Produção de texto: Meu Monstrinho




Como parte do projeto de escrita autônoma apliquei essa produção de texto e fiquei encantada com as produções dos alunos. Segue aqui o texto da aluna Rayane do 3o. ano C. 
A professora Ieda, Rita, Rosana,Vera e Alessandra também gostaram muito e aplicaram com seus alunos.

Em breve outros textos pra sua diversão.

Beijocas 
Pro Cris Chabes